Painel 3

Futebol, Modelo Estratégico

Ricardo Pereira – Sócio nº 23.133-0

Prevenção e tratamento de lesões no futebol moderno

Introdução

O Futebol dos dias de hoje exige em termos físicos um nível muito superior ao que era exigido há alguns anos atrás. A modalidade evoluiu, tornando-se mais rápida, mais dinâmica e com uma frequência competitiva sem precedentes. Os atletas têm acompanhado esta evolução, aumentando a carga e periodicidade dos treinos, treinando as diversas componentes físicas - força, resistência e flexibilidade.

Maior ocorrência das lesões

Evidentemente o aumento referido acarreta uma subida da incidência de lesões, facto que deve ser combatido, primordialmente, através da prevenção. As lesões são de 2 tipos:

  1. lesões traumáticas – ocorrem sobretudo durante a competição;
  2. lesões de esforço – ocorrem sobretudo durante os treinos por over use, ou mau aquecimento.

Incidência das lesões

Estudos demonstram que um jogador que sofra uma lesão durante a época, tem risco aumentado de voltar a contrair uma nova lesão ou de agravar a lesão passada. Muitas vezes a falta de uma abordagem terapêutica adequada e o não respeitar os tempos de paragem, apropriados, de cada lesão, conduzem a estes episódios. As lesões no Futebol ocorrem sobretudo nos membros inferiores - virilhas, face posterior e anterior da coxa, joelho, tendão de Aquiles e no tornozelo.

A Prevenção

De forma a tentar minimizar a ocorrência de lesões devemos ter em consideração vários fatores:

  1. Aptidão Física
  2. Aquecimento
  3. Alongamento
  4. Hidratação e Alimentação

O Tratamento

Cada lesão deve ser abordada de forma objetiva, cuidada o mais rapidamente possível, e em função da sua gravidade e natureza. Para que isto aconteça é fundamental dispor de profissionais competentes que possam em primeiro lugar, avaliar o Atleta e com a ajuda dos necessários meios de diagnóstico, aferir com precisão a origem, local e extensão da lesão.

Tão ou mais importante que o plano de tratamento, é a definição do tempo de paragem, que pode variar em cada recuperação, pois a reintrodução precoce do Atleta no treino, conduz quase sempre, a recidivas lesionais.

Recomendação 1 - Planos individuais de treino para férias

Definir para cada Atleta, de forma específica, um plano de exercícios a cumprir durante as férias, recorrendo a métodos de análise que permitam avaliar, à posteriori, a evolução dos mesmos. Neste plano irá incluído um regime alimentar flexível.

Recomendação 2 - Avaliação Postural Individual

Fazer uma avaliação detalhada da postura de cada Atleta, para que se definam pontos específicos de trabalho, que permitam melhorar a performance desportiva e diminuir a predisposição para certos tipos de lesões.

Recomendação 3 - Base de dados de lesões/ Jogador no Clube

Proceder ao levantamento estatístico do número e incidência de lesões de cada Atleta, para que se definam estratégias preventivas - como o fortalecimento, ou o alongamento - de futuras lesões. Sabendo o historial lesional de um jogador, podemos antecipar e atuar em conformidade, para tentar impedir a ocorrência de algumas lesões.

Recomendação 4 - Investimento nos RH do Departamento Médico

Os Atletas são um ativo muito importante do Clube. É imperativo que estejam sempre na melhor forma física e com o mínimo tempo possível de interrupção da prática desportiva. Devemos investir em Médicos Especialistas (Ortopedistas) e Técnicos Superiores (Fisioterapeutas) qualificados, mas que garantam uma permanência de 24h no Clube. Profissionais competentes e disponíveis, significam mais e melhor performance por parte dos Atletas, com o inerente retorno desportivo para o Clube.